Topo

Após sucessivas tentativas de votação, o plenário da Câmara aprovou no final da noite de ontem (20), em segundo turno, a análise do texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 282/2016, que estabelece o fim das coligações partidárias nas eleições proporcionais a partir de 2020. Faltam votar três destaques antes da PEC seguir para o Senado.

No início da sessão, os deputados aprovaram destaque do PPS que propôs que o fim das coligações nas eleições proporcionais só ocorra a partir das eleições municipais de 2020, quando serão eleitos os vereadores. Com isso, as coligações ficam mantidas para as eleições de deputados federais e estaduais do ano que vem. O destaque foi aprovado por 384 votos contra 87 e quatro abstenções. Inicialmente, o texto da proposta estabelecia a mudança já nas próximas eleições, em 2018.

Durante a votação, o presidente em exercício, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG) reiterou o compromisso de que compensaria o esforço dos parlamentares caso conseguissem concluir a votação ainda nesta sessão com a liberação da presença na quinta-feira (21). “Se vocês comprometerem e ficarem aqui e avançarmos, nós vamos ficar aqui até a 1h para amanhã não ter painel [eletrônico]”, disse Ramalho.

Para conseguir concluir a análise da PEC nesta sessão, os deputados aprovaram, de forma simbólica, um requerimento de quebra de interstício para que pudesse ser feita a votação do segundo turno sem o transcurso de cinco sessões plenárias, conforme prevê o regimento da Câmara. A medida viabilizaria a conclusão da análise da proposta para ser enviada à nova votação no Senado.

No entanto, apesar da tentativa de Ramalho em manter os deputados no plenário, a votação não foi concluída após pedido de líderes em virtude da diminuição no quórum. Dessa forma, ainda estão pendentes de análise três destaques ao texto-base.

“O quórum está baixo, é arriscado votar. Temos destaques polêmicos e não houve acordo de manutenção ou supressão de textos. Vamos deixar o destaque para a próxima terça-feira”, disse o líder do PP, deputado Arthur Lira (AL).

Nova sessão foi marcada para a concluir a análise do tema na próxima terça-feira (26). Para o sistema entrar em vigor nas próximas eleições, a PEC precisa ser votada pelo Senado e ser promulgada até o dia 7 de outubro, um ano antes das eleições de 2018.

Cláusula de desempenho
O texto já aprovado prevê a adoção de uma cláusula de desempenho para que os partidos só tenham acesso aos recursos do Fundo Partidário e ao tempo de propaganda na rádio e na TV se atingirem um patamar mínimo de candidatos eleitos em todo o país.

A cláusula de desempenho prevê que a partir de 2030 somente os partidos que obtiverem no mínimo 3% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos um terço dos estados, terão direito aos recursos do Fundo Partidário. Para terem acesso ao benefício, os partidos também deverão ter elegido pelo menos 15 deputados federais distribuídos em pelo menos um terço dos estados.

O mesmo critério será adotado para definir o acesso dos partidos à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. A mudança, no entanto, será gradual, começando pelo piso de 1,5% dos votos válidos e 9 deputados federais eleitos nas eleições de 2018; chegando a 2% e 11 deputados eleitos, em 2022; a 2,5% e 13 eleitos em 2026, até alcançar o índice permanente de 3% e 15 eleitos em 2030.

SÃO PAULO - Uma das maiores novidades que serão incorporadas ao Sistema Nacional de Trânsito é a Carteira Nacional de Habilitação digital (CNH-e). A partir de fevereiro de 2018, o novo modelo estará disponível para condutores de todo o país. Até lá, motoristas podem testar a versão de demonstração da CNH eletrônica por meio de um aplicativo disponível no site do Serpro.

Com a mudança, o documento passará a ter um novo funcionamento, totalmente virtual, na forma de aplicativo, mas com o mesmo valor jurídico do impresso. A ferramenta vai armazenar, no celular do próprio motorista, todas as informações da carteira impressa, inclusive foto e QR Code, que garante maior autenticidade, praticidade e segurança ao documento.

De acordo com o Ministério das Cidades, futuramente, o motorista também poderá conferir a pontuação de infrações cometidas, ser avisado quando a CNH estiver perto de vencer e saber sobre campanhas de trânsito, tudo pelo aplicativo.

Saiba como será o conseguir a sua e-CNH:

Como emitir a CNH-e?
Para solicitar a CNH-e, o motorista já deve ter uma habilitação impressa com QR Code e se cadastrar no portal de serviços do Denatran. Caso o condutor já tenha cadastro no Sistema de Notificação Eletrônica (SNE), solução que possibilita o pagamento de multas de trânsito com 40% de desconto, não será necessário novo cadastro. A solicitação deve ser feita pelo portal com a mesma senha de cadastro do SNE.

É necessário levar algum documento ao Detran?
Não. Os motoristas devem apenas informar ou atualizar os endereços de e-mail e telefones nos departamentos de trânsito. Caso a pessoa possua certificado digital, pode atualizar as informações pela internet, no portal do Denatran.

Como ativar o cadastro no aplicativo?
Assim que o endereço de e-mail for atualizado no Detran ou no site do Denatran, um link será enviado para o e-mail do condutor e, por meio dele, o usuário vai fazer login no aplicativo pelo aparelho em que deseja ter a CNH digital. O motorista deverá criar uma senha de quatro dígitos, que deverá ser memorizada para acesso ao documento.

O que acontece se o motorista perder o aparelho celular ou for roubado?
Nesse caso, será possível solicitar o bloqueio do aparelho para impedir o uso de sua conta e acesso ao seu documento. Para isso, o condutor deverá acessar o portal de serviços do Denatrane solicitar o bloqueio.

O aplicativo poderá ser baixado em qualquer celular?
Em princípio, a ferramenta de acesso à e-CNH será disponibilizada para aparelhos com sistema operacional iOS e Android, nas respectivas lojas virtuais (Apple Store e Google Play).

SÃO PAULO – Apenas 21% dos brasileiros estão otimistas com a economia nos próximos seis meses, enquanto 34% disseram estar pessimistas, segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Para 28% dos pessimistas com a economia, a ausência de boas expectativas é decorrente da percepção de que a corrupção atrapalha o desempenho do país. Outra razão citada por 20% dos pessimistas é o alto nível de desemprego. Também é mencionada a discordância com a atual política econômica (17%), o fato de as instituições e leis não favorecerem o desenvolvimento do país (13%) e a alta dos preços (10%).

No caso das expectativas para a vida financeira, 60% manifestaram boas expectativas para a vida financeira e 10% manifestam expectativas ruins ou muito ruins. Apesar disso, a maior parte dos consumidores otimistas não sabe ao certo justificar as razões do otimismo (37%).

“Em geral, os consumidores tendem a ser mais otimistas ao tratar da própria vida financeira do que ao tratar da economia do país. Porém, nem sempre o otimismo possui justificativas sólidas”, afirma o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Entre os otimistas, 27% esperam conseguir um novo emprego ou promoção, 11% acreditam que a economia irá melhorar, 8% dizem estar investindo na profissão e 8% afirmam ter feito uma boa gestão das finanças.

Infomoney

SÃO PAULO – Estão abertas até 29 de setembro as inscrições para o programa de estágio de férias do Itaú Unibanco. Estudantes a partir do primeiro ano da graduação, nas áreas de exatas e humanas, podem participar dos projetos, com duração de seis a dez semanas.

Segundo a instituição, as oportunidades são voltadas “especialmente aos estudantes que não possuem disponibilidade de horário para estagiar e querem ter a vivência em situações reais do mundo corporativo, mas todos podem se inscrever”. Os alunos selecionados participarão das atividades da empresanos meses de dezembro e janeiro, e a duração do programa pode ser adaptada de acordo com a disponibilidade do estagiário.

Além da matrícula no ensino superior, os candidatos precisam ter disponibilidade mínima de 6 semanas para estagiar, durante 6h por dia em São Paulo (SP). Os candidatos poderão escolher, no ato da inscrição, por um dos dois tipos de estágio, um específico para estudantes de Direito, que vão atuar no Departamento Jurídico, e outro em parceria com diversas áreas do banco, chamado de Perfil Corporativo.

As fases da seleção incluem análise de currículo, entrevista gravada e quiz, além de uma entrevista final com gestores. Selecionados receberão bolsa-auxílio compatível com o mercado; seguro saúde; vale-refeição; vale-transporte e auxílio moradia (para estudantes de fora de São Paulo).

 

Infomoney

SÃO PAULO – Até o ano passado, nem todos no Brasilconheciam Neil Patel. Foi necessário, entretanto, somente a hashtag #quemeneilpatel e a campanha criada por trás dela para que ele viralizasse nas redes sociais.

Nome por trás de sua própria campanha, Patel é o maior nome do mundo do marketing digital, criador de quatro das principais ferramentas de SEO existentes. Ele trabalhou para empresas como Google, Amazon, Facebook, NBC e General Motors e foi reconhecido pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, como um dos 100 maiores empreendedores com menos de 30 anos.

Para si mesmo, entretanto, uma descrição muito mais simples de si mesmo é suficiente para quem não o conhece: “Sou um empreendedor em série e especialista em marketing digital”, disse para o InfoMoney.

Neil começou sua trajetória no empreendedorismopor conta própria aos 16 anos, quando investiu todas as suas economias em uma empresa de marketing para alavancar os resultados de seu site. Os resultados, entretanto, não agradaram, e ele percebeu que era necessário aprender por conta própria se quisesse destacar-se no mundo do marketing. “Eu estava completamente sozinho, era muito novo e as coisas eram difíceis”, contou.

Desafio
Hoje, além de gerenciar seus negócios, Neil presta consultoria de marketing digital a diferentes empresas. Foi com alguns desses trabalhos que Neil teve a ideia de lançar um desafio às pequenas empresas brasileiras: ele dará uma consultoria gratuita a uma PME selecionada com a promessa de aumentar seu faturamento com técnicas de marketing digital – mas, para isso, a empresa terá que dividir parte do lucro obtido com seus funcionários.

A justificativa do guru para o desafio é que, quando abrem a participação nos lucros aos funcionários, as empresas veem uma redução em problemas crônicos como alta rotatividade, desmotivação e queda de produtividade.

Em entrevista exclusiva para o InfoMoney, Neil falou sobre suas experiências no mundo do empreendedorismo, as dificuldades que enfrentou e o segredo para alcançar o sucesso. Confira, a seguir, a íntegra da entrevista:

InfoMoney: Como era a vida antes de alcançar o sucesso e de se tornar um dos empreendedores mais influenciadores do mundo?
Neil Patel: Eu comecei aos 16 anos criando meu próprio website, eu ainda era muito novo. Minha mãe era professora e nós nunca tivemos muito dinheiro. Nós éramos pobres, era necessário economizar para tudo, então sempre tive que me esforçar. Eu cresci sabendo que dinheiro não é algo fácil.

IM: E como empreendedor, quais foram as dificuldades que você enfrentou?
NP: As dificuldades que eu tive foram erros meus, e eu cometi muitos erros. Investi errado, escolhi as equipes erradas e tentei fazer muitos negócios ao mesmo tempo. A única coisa que aprendi é que é todos vamos cometer erros e que isso é “ok”, contanto que aprendamos com eles. O problema está em quando cometemos os erros e continuamos insistindo neles.

Nos negócios, uma experiência ruim que tive foi ter optado por não investir no Airbnb quando pude. Se eu tivesse investido, eu com certeza estaria muito mais rico agora (risos).

IM: Você trabalhou para empresas como Google, NBC e Amazon. Qual é o segredo por trás dessas empresas? O que elas têm que as torna tão gigantes?
NP: Elas têm processos. Sem eles, você não ganha dinheiro. Até é possível ganhar milhões, mas não bilhões. E sem isso você nunca vai contratar as melhores pessoas, que são as responsáveis por esse crescimento. No futebol, por exemplo, nós sabemos que o Neymar é o melhor, mas sem bilhões nunca seria possível contratar o Neymar.

Elas também executam tudo muito rápido. E é simples: quanto mais rápido você executa, mais rápido você cresce.

IM: Você diria que esse é o segredo para as empresas crescerem?
NP: Sim, executar é o grande segredo. Tempo é dinheiro, então obviamente as que executam mais rápido vão enriquecer mais rápido, vão entender sobre seus erros mais rápido e vão dar aos clientes o que eles querem mais rápido. Também é importante sempre pensar em ferramentas simples de usar, tornar os produtos mais fáceis para seus clientes.

IM: Por que você diz que o marketing é responsável por alavancar as vendas da empresa e aumentar o lucro? O que ele tem de tão especial?
NP: É simples: o marketing tem poder sobre os consumidores. Com poder sobre os consumidores, você se dá bem. O marketing consiste de analisar dados, mesmo que algumas pessoas utilizem a intuição. Com dados, você descobre o que eles querem.

IM: E no seu site você comenta que a fórmula do sucesso vem do marketing. Você pode nos dizer qual é ela?
NP: O que posso dizer é que ela é uma combinação de SEO, conteúdo e marketing de redes sociais. Não posso dizer mais porque, se falar, as pessoas deixam de me pagar para ensina-las (risos).

IM: Existe alguma ferramenta simples e acessível que você recomenda para qualquer empresa?
NP: Sim, o Google Analytics. Todo negócio deve usá-lo se quiser crescer, é uma ferramenta incrível.

IM: Você acha possível que qualquer pessoa aprenda sobre um assunto por conta própria, como você fez?
NP: Sim, com certeza. Hoje em dia as coisas são muito mais fáceis, existem muitas informações e maneiras de aprender na internet, muitos cursos, muitos e muitos vídeos no YouTube. O aprendizado está em todo o lugar, é só saber procurar.

IM: Existe algum segredo pra ser um empreendedor bem sucedido?
NP: Existe. Trabalhe duro e continuamente, tenha consistência no que faz e dedique muito tempo a isso. E marketing, claro.

Página 1 de 13

FENECON - Federação Nacional dos Economistas  
SCS Ed. Anhanguera, Quadra 02 - Conj 717 / 718 - Brasília - DF  |  Cep : 70.315-900
Telefone: (61) 3225-0690 Telefax: (61) 3224-7381 | atendimento: de 13 às 19 horas | fenecon@fenecon.org.br